Seguros do agronegócio: a importância do corretor de seguros para o seu crescimento

Por Leandro Calve*

A agricultura brasileira, mesmo com alguns momentos de altos e baixos, sempre apresentou uma trajetória ascendente. Nas últimas décadas – e especialmente nos últimos anos, os produtores rurais têm estado mais atentos à inovação tecnológica e novas formas de produção, aumentando a produtividade e proporcionando ao Brasil papel de grande relevância global no setor.

E mesmo em um cenário de pandemia, o setor vem apresentando bons resultados. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a estimativa para 2021 do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) é de R$ 1,002 trilhão.

O resultado tem sido mais investimentos no campo, com expansão de áreas agrícolas, novas máquinas, estruturas e empresas atuando fortemente no setor. Porém, a agricultura está exposta ao risco climático, que é o grande fator, muitas vezes, de sucesso ou fracasso de todo o investimento feito em uma determinada lavoura, podendo frustrar todas as expectativas, a dedicação – e, por que não, do amor? – do produtor rural depositados na sua propriedade.

Considerando que em muitas regiões a agricultura é o maior impulsionador do desenvolvimento, o sucesso de uma safra traz muitos recursos e retorno para todos. No sentido contrário, grandes perdas nas lavouras podem provocar um desequilíbrio socioeconômico generalizado na região, que necessitará de tempo para a retomada do crescimento.

Dessa forma, ferramentas de gestão de riscos e proteção de renda são fundamentais para o constante crescimento socioeconômico de um município ou de uma região do País. Nesse sentido, o seguro agrícola tem uma importância muito relevante na mitigação de riscos de perda de renda dos produtores, na preservação da estabilidade econômica e na melhoria nas condições sociais de muitos municípios e regiões.

As políticas agrícolas são indispensáveis para a continuidade da atividade seguradora rural e para a facilidade de acesso dos produtores rurais ao sistema de seguro rural. E uma das principais ferramentas de políticas agrícola é a subvenção ao prêmio do seguro rural, que tem como principal objetivo democratizar o acesso do produtor ao seguro rural. No Estado de São Paulo, a Secretaria da Agricultura local já anunciou que vai liberar R$ 27 milhões para o programa estadual de subvenção do seguro rural. Isso significa que cada produtor pode receber até R$ 15 mil e o governo fica responsável pelo pagamento de 32,5% do valor da subvenção.

Mas esses incentivos precisam ser complementados pela atuação de corretores de seguros especializados no setor. A grande importância desse profissional decorre da sua capacidade de conhecer e entender as necessidades específicas de cada produtor na sua região de atuação, de conhecer as características dos diferentes produtos e coberturas oferecidos pelas seguradoras e, também, de conhecer os mecanismos de subsídio governamentais que reduzem em muito os custos da proteção por seguro.

O corretor de seguros atua, dessa forma, como um consultor especializado em gestão de riscos da atividade agrícola. É clara a importância da especialização e da permanente atualização desse profissional, o que o torna o parceiro de confiança tanto dos produtores rurais quanto das seguradoras, contribuindo fortemente para o desenvolvimento do mercado de seguros voltados para a proteção do agronegócio brasileiro.

* Leandro Calve é professor da Conhecer Seguros, engenheiro agrícola e mestre em Engenharia Agrícola na área de Desenvolvimento Rural Sustentável. Iniciou sua carreira profissional no grupo de desenvolvimento do Zoneamento Agrícola de Riscos Climáticos, tendo posteriormente chegado ao mercado de seguros como subscritor de riscos agrícolas. Também é professor em cursos de graduação e pós-graduação na área de Ciências da Terra e em Seguros Rurais.

Cursos relacionados da Conhecer Seguros:

>> Seguros do Agronegócio

Tel.: (11) 5199-0555 / WhatsApp: (11) 99482-5903 contato@conhecerseguros.com.br